Evil-times
Anne Karoline,19 , Brasil
    Todo ano, sempre que ligava no meu aniversário, meu avô me perguntava o que eu queria ser, quando crescesse. Em 1988 eu respondi “batman”; em 1991, “bombeiro”; em 1995, “ponta-esquerda do Grêmio”; em 1997, “astro de rock”; em 1999, falei “drag-queen” (em minha defesa, estava passando por um momento meio confuso, que já passou); e, em meados de 2000, eu desisti de todo aquele papo e respondi que só queria ser livre. Ele resmungou no telefone que era bobagem, isso de ser livre. Ninguém é livre. Eu tentei expor minha ideia, mas ele tapou os ouvidos e gritou alto lá-lá-lá – o grande superpoder de um avô é dizer o que bem quiser e só ouvir o que lhe convém. E eu fiquei magoado porque, bem, o que mais sabem fazer os adolescentes, além de remoer mágoas o tempo todo?
Gabito Nunes.   (via thiaramacedo)
    Mas não adianta tentar explicar. Ninguém entenderia. Diriam que eu gosto de fazer drama.
Querido John.  (via thiaramacedo)
    Um dia super…
Uma noite super…
Uma vida superficial.
Engenheiros do Hawaii. (via prolificar)
    Aos poucos eu percebi. Que se apaixonar é inevitável, e que as melhores provas de amor são as mais simples. Um dia percebemos que o comum não nos atrai, e que ser classificado como bonzinho não é bom. Um dia percebemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você. Um dia saberemos a importância da frase: “Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa”. Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, e que não damos valor a isso! Que homem de verdade não é aquele que tem mil mulheres, mas aquele que consegue fazer uma única mulher feliz! Enfim… um dia descobrimos que apesar de viver quase um século, esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer tudo o que tem de ser dito. O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras.
Mario Quintana. (via inverbos)
    Você sorria diferente, e era isso que me encantava.
 Jay-Z. (via relevoar)
    Tudo bem. Pronto, já te soltei, a porta está aberta. Vai. Pode ir. Anda. Vá atrás do seu homem de verdade. Amores de plástico te esperam. Sorte, garota
Gabito Nunes. (via relevoar)
    Enquanto o mundo grita “desista” bem alto, a esperança sussurra baixinho “tente mais uma vez”.
Desconhecido.   (via relevoar)